Casar nada mais é do que juntar objetivos. Quando duas pessoas optam por viver juntas não quer dizer que elas precisam perder a liberdade, mas para bom entendedor, os noivos se predispõem a ver o futuro com os mesmos olhos, andando em sintonia e juntando as economias financeiras.

O casamento vai incluir a racionalidade e a emoção. A começar pela Festa de Casamento

  1. Quanto o casal tem disponível para investir em uma festança?
  2. E o local escolhido, fica dentro do orçamento?
  3. A noiva vai chegar de carro, charrete ou helicóptero?
  4. O bolo vai ser aquele de 15 andares?
  5. E as alianças, de pedras preciosas?
  6. Como serão feitos os convites, a organização, a decoração?

Tudo isso faz parte da vida dos noivos que pretendem montar uma festa de casamento.

Se você já percebeu que casar vai muito além de dividir os boletos bancários como IPTU, água, luz, gás, TV a Cabo, Internet, supermercado… E mesmo assim está disposto a continuar em busca do objetivo de realizar uma festa de casamento, então não deixe de ler essas 10 dicas abaixo.

3 Itens Domésticos Indispensáveis tiveram alta em 2017. Como manter o Orçamento Financeiro?

  • No final do artigo, há um bônus: Como Juntar Dinheiro para Realizar a Festa de Casamento!

A princípio, leve em conta que nem sempre é possível contar com a ajuda de amigos e familiares, mesmo porque na hora do aperto… “Salve-se quem puder”.

Portanto, essa leitura é muito útil ao casal, já que oferece as primeiras reflexões sobre como Economizar Dinheiro na Festa do Casamento.

1 – Benção Religiosa

Já vamos começar com muita polêmica, mas nem tanto. Na verdade, a religião pode fazer parte da vida do casal ou não.

Seja pela tradição ou pelo interesse espiritual, o casal pode optar por “alugar” um horário na igreja, ir a um salão onde há pastores ou mesmo fazer tudo no mesmo lugar, com um mestre cerimonialista.

O mais importante é conseguir uma benção para as alianças e começar a vida com muitos pensamentos positivos.

Observe que essa é uma das partes que devem respeito ao casal e não aos convidados, portanto, independente da crença deles, o ideal é seguir os gostos dos noivos.

Aqui, apesar de também ser possível economizar no orçamento, vale mais pensar em algo que agrade a espiritualidade do casal.

2 – Alianças

As alianças são tradicionalíssimas e não tem como deixar de fora. A questão é que há muitas opções no mercado atual: as de ouro são as mais comuns, porém as de ouro branco ou diamantes costumam ser as mais impressionantes.

Também há de se pensar na largura, em detalhes como pérolas ou desenhos.

De qualquer forma, a aliança vai representar uma boa parte do orçamento financeiro direcionado ao casamento, portanto, quanto mais pesquisas e mais informações sobre elas, maior a chance de economizar dinheiro.

Em uma breve pesquisa aqui na internet, nossa equipe de redação encontrou alguns modelos que custam a partir de 500 reais o par.

Mas vimos também casais que optam por fazer da aliança de noivos a de marido e mulher, apostando na restauração. E, acreditem, isso gera uma economia grandiosa.

3 – Foto e Filmagem

Recordar é viver, não é amiguinhos? Na verdade o registro feito no dia do evento é bastante importante, mesmo que os novos celulares altamente potentes com câmeras que filmam em HD estejam no mercado, escolher alguns profissionais pode fazer toda a diferença na hora de visualizar a imagem nos álbuns.

Aliás, a foto e a filmagem também levam boa parte do orçamento, portanto, vale a pena pesquisar e pechinchar e, mais do que isso, levar em conta se esses registros fazem parte das prioridades do casal. Saibam que existe no mercado bons profissionais com preços acessíveis.

Reprodução: Google

4 – Comida e Bebida

Essa talvez seja a parte mais “pesada” do casamento. Só que as variações também são grandes: churrasco, feijoada, brunch, jantar, coquetel… O importante é conseguir equilibrar a parte da alimentação com o orçamento.

Há de se pensar ainda nas bebidas, que podem incluir alcoólicas ou não, assim como sucos naturais, água com gás e refrigerantes diets.

5 – Convites

Os convites de casamento costumam ser levados à sério, por isso, levam boa parte do orçamento embora, levando em conta que é preciso contratar um profissional habilitado a fazer a arte, o desenho e a impressão.

A pesquisa, aqui neste tópico, também é fundamental. Mesmo porque é possível encontrar convites expressos a partir de 2 reais, o que é considerado bem abaixo da média. No entanto, é preciso levar em conta o gosto do casal.

6 – Lembrancinhas

A variação das lembrancinhas que podem ser feitas também é um ponto positivo para o seu bolso. Pense em copos personalizados, chinelos, doces “agrademos a sua presença” ou mesmo os trabalhos artesanais que costumam ser muito bem aceitos por todos os convidados.

7 – Decoração

Também é importante e também custa muito dinheiro. Aqui vale muito a pena levar em consideração o contrato feito com o bufê, que pode incluir os itens de decoração ou não. O mesmo vale para a igreja.

A decoração não precisa ser banhada a ouro, como a aliança, mas é importante porque vai direcionar a festa, levando-a ao sucesso.

Uma decoração simples pode sim ser muito agradável. Aposte, então, em confecções próprias no que for possível. Flores são lindas, mas caras, então, use-as de forma não excessiva.

8 – Vestimenta

Os noivos precisam estar a caráter e isso significa alugar (ou comprar) roupas especificas. Vá a lojas populares, promocionais ou em brechós antes de ir até aquele ateliê super conhecido da sua cidade.

Se a festa for um pouco menos formas então há uma série de vestidos brancos que podem valorizar o seu corpo e a sua festa. Por sinal, há sites especializados que encontram esses produtos em preços bem mais baixos.

O noivo também precisa ir de social, nada que uma camisa e um sapato bem lustrado não resolvam.

9 – Buquê

Pesquisa os valores dos buquês em várias floriculturas. Os girassóis costumam ser muito apresentáveis, mas caros. Já um ramalhete de flores mais simples pode custar bem menos do que 50 reais.

10 – Bolo

O bolo faz parte da alimentação, mas deixamos em um tópico separado porque é uma parte totalmente separada, que acontece no final da festa e tem a função de ser a sobremesa. Se achar os valores muito altos, pense em alugar um bolo artificial apenas para as fotos.

Bônus: Como Juntar Dinheiro para Realizar a Festa de Casamento

É claro que juntar dinheiro para o casamento é uma prática comum (mas não tanto quanto deveria) no Brasil. No entanto, o que não é praticado é investir dinheiro. Assim, muitas poucas pessoas sabem que investir dinheiro é uma das melhores formas de juntar dinheiro para o casamento.

Sabe por quê? Porque o dinheiro vai render e você vai conseguir algum lucro em cima dele sem fazer “nenhum” esforço a mais.

A grande sacada é conseguir escolher uma aplicação financeira que condiz com a realidade do casal, pensando principalmente na questão do tempo. Logo, se o casal vai casar daqui 24 meses, há de se escolher um investimento financeiro que dure, na média, 18 meses.

E sim, é possível encontrar aplicações que durem esse período, ainda mais se pensarmos em títulos bancários, como os CDBs (Certificados de Depósitos Bancários), mas aí, você vai precisar se atentar a outros fatores, como a taxa de administração, por exemplo.

Se o seu casamento vai acontecer no longo prazo, melhor ainda. Você pode pensar em títulos do Tesouro Nacional, que custam render bem mais e são super populares, com valores mensais de, pelo menos, 30 reais.

Como Escolher o Melhor Investimento Financeiro?

Já não há mais segredos sobre Ficar Rico Para tal, é preciso investir dinheiro. Então, mas como saber qual o melhor investimento financeiro?

Afinal, economizar dinheiro e poupar dinheiro é menos complicado do que parece, mas quando chega a hora de investir o dinheiro… Tudo parece complicado demais. Então, vamos descomplicar!

Questões sobre o Capital Disponível, o Tempo de Investimento, os Custos Operacionais e outros são importantíssimos na escolha do melhor investimento para ganhar dinheiro.

Daí, selecionamos as 5 principais questões que devem ser observadas na hora da escolha do investimento financeiro, confira!

1 – Capital Inicial para Investimento: É claro que quanto mais recursos financeiros se têm, maiores são as chances de encontrar um investimento que se adeque ao seu perfil. Isso não significa que se você não tem uma grande quantia não poderá investir.

Tudo é questão de avaliação e você precisa começar avaliando o capital que tem disponível para a aplicação.

2 – Perfil de Risco: O perfil de risco vai definir qual sua ousadia para investir dinheiro. Isso não quer dizer que se você for conservador, você não terá boas opções.

No mercado financeiro, há uma relação diretamente proporcional entre o risco e rentabilidade, logo, quanto maior o risco, mais rentável ele é.

3 – Protejase da Inflação: A inflação corrói o poder de compra do dinheiro ao longo do tempo, então, é preciso ficar atento à ela. De outro lado está a taxa de juros, que é a rentabilidade do seu investimento.

Então, o mais indicado é que o investidor, principalmente se for iniciante, opte por produtos que sejam remunerados com base no índice IPCA ou na Selic.

4 – Tempo de Investimento: Isso também é importante e vai depender da sua meta. As aplicações de curto prazo são as que duram até 2 anos , depois vem as de médio prazo de até 5 anos e mais do que isso é considerado de longo prazo.

Isso influencia na rentabilidade porque, entre outros valores, leva em consideração tabelas regressiva, como a do Imposto de Renda.

5 – Custos Operacionais: Quase todas as aplicações financeiras têm taxas de administração, corretagem, custódia, entre outras. Por isso, é preciso atenção para que essas taxas não faça com que você perca dinheiro.

Essa dica vale tanto para fundos de investimentos que são feitos em bancos e são considerados seguros quanto para a comercialização de ações, na BM&FBovespa.

Agora você já tem o queijo e a faca na mão. Já sabe como Economizar Dinheiro, Poupar Dinheiro e Investir Dinheiro. Só precisa cortar o queijo, ou seja, só precisa, de fato, investir.

Se você ainda ficou com alguma dúvida, comece pelas Rendas Fixas (E-book Gratuito sobre Como Investir em Renda Fixa). E, sobre Investir em Ações com Risco Zero, faça o cadastro e receba as melhores dicas!

Com informações do casandosemgrana