Ele venceu o prêmio ao dar início a uma tese chamada de Economia Comportamental – uma linha que leva em conta os aspetos emocionais dos consumidores e dos investidores. Antes de aprender as grandiosas lições financeiras, conheça a história do vencedor.

Richard Thaler – Nobel em Economia de 2017

No dia 9 de outubro, o professor da Universidade de Chicago, Richard Thaler, foi reconhecido pelo Prêmio Nobel de Economia devido as suas pesquisas que estão contribuindo para uma melhor compreensão dos padrões humanos sobre o consumo.

Thaler une a economia, a psicologia e outras ciências – daí nasceu a Economia Comportamental.

A expressão tem a ver com a teoria econômica tradicional e a ideia de tomada de decisões das pessoas. Ele busca compreender as influencias de fatores que levam o individuo a ter tal ação.

Somos mais parecidos com o Homer Simpson do que o Super-Homem”, disse Dan Ariely, que é um estudioso de Thaler.

Em palavras mais simples é a “economia baseada em evidências”.

Quando recebeu o prêmio, Thaler disse palavras importantes:

“Para fazer uma boa economia, você deve ter em mente que as pessoas são humanas”.

E é exatamente sobre isso que o vencedor do prêmio estuda.

A lógica dele é a de que temos situações na qual é possível tomar decisões equivocadas justamente por não termos uma análise completa da busca pela melhor solução.

Na prática, isso explica porque quando temos uma reserva financeira, não conseguimos acessá-la para outros fins. Imagine que você tenha um dinheiro para viajar e precisa resgatar para pagar alguma conta extra, sem que recorra ao crédito fácil… Você faria?

Normalmente, as pessoas não conseguem fazer essa escolha.

O fato é que pequenas intervenções podem gerar grandes resultados financeiros.

Reprodução: Google

5 Lições Financeiras do Ganhador do Prêmio Nobel

Roberto Decourt é outro estudioso de Thaler e listou 5 lições que podemos aprender com a pesquisa dele.

“Pelos modelos matemáticos, as pessoas tomam suas decisões sempre buscando aproveitar ao máximo os recursos disponíveis, mas essa linha teórica clássica não considera que há fatores emocionais envolvidos, que muitas vezes têm peso determinante”, disse Decourt.

1 – A Contabilidade Mental

A teoria clássica diz que as pessoas distribuem racionalmente os seus recursos financeiros, aproveitando o que economizam para melhorar a qualidade de vida com a compra de outros produtos financeiros.

Já na opinião de Thaler, deveria acontecer o contrário: as pessoas compartimentam suas despesas conforme o perfil das compras.

Logo, se o preço da cesta básica cai no supermercado, à pessoa não usa a diferença do valor para sair de férias ou pagar uma dívida e sim para comprar produtos mais caros, gastando com supérfluos e desperdiçando a chance de melhorar de vida.

A lição de Thaler tem a ver com o fato de que é preciso ter objetivos claros, com um planejamento financeiro. Uma renda que for adicional pode ser usada para antecipar o pagamento de parcelas de dívidas com altos juros ou pagar uma emergência médica.

2 – Avaliação do Custo Real

Um par de bolsas custa 100 reais. Na loja adiante, o mesmo item está por 80. Então, o consumidor compra na loja seguinte.

Porém, se uma TV custa 2 mil reais e uma loja a frente vende por 1.980 reais, o consumidor acha que andar alguns quarteirões a mais não valerá a pena.

A teoria de Thaler desmente essa linha tradicional, afirmando que a pessoa calcula o custo do tempo e toma as decisões sempre de forma a valorizar elas.

A lição que fica é a de que toda oferta vale a pena: há outras variáveis envolvidas, como a questão da necessidade, da segurança e do tempo. O benefício pode ser bom, mas quando se examina claramente os custos, a oportunidade não fica tão atraente assim.

3 – O Jogo do Ditador

Imagine que alguém é chamado entrar em jogo em que vai escolher se um determinado valor (100 reais) será dividido entre si e outra pessoa. Porém, será o outro que vai escolher com quanto cada um ficará.

Cabe a primeira bater o martelo se o dinheiro será dividido como o outro escolher ou se ninguém vai receber nada.

Conforme os testes, quando o segundo opta por ficar com 80%, deixando apenas 20% para o primeiro, essa primeira pessoa decide que nenhum ficará com nada, mesmo que ela tinha uma fatia de 20% para aproveitar.

A lição é muito simples: podemos perder oportunidades de ganhar dinheiro ou empreender simplesmente por falta de persistência ou por causa de outras pessoas que boicotam de forma involuntária.

Você não tem que se preocupar com quanto o outro ganha, mas se tiver uma oportunidade que pode gerar ganha, entenda que é melhor do que não ganhar absolutamente nada.

4 – A escola induzida

Thaler mostra como as empresas podem ganhar com a capacidade superficial de julgamento do consumidor – vendendo produtos que não são tão bons por preços elevados.

Um exemplo? Uma pipoca de cinema: o pote pequeno custa 8 reais e o grande é 10 reais. Ninguém leve em conta o custo-benefício para escolher a pequena, não teria motivos para isso.

A loja, claramente, coloca a outra opção com um valor “mais atrativo” para induzir o cliente a achar que está fazendo uma compra que vale a pena, mesmo que ela custe 7 vezes do que preparar em casa.

A lição é levar em conta que a oferta de produtos em um mesmo ambiente pode se restringir se comparado ao mercado. Pesquisa prévia é ter me mente os preços justos por cada produto ou serviço.

5 – Análise de Risco

A teoria de Thaler diz que sua participação no filme A Grande Aposta fala sobre a bolha imobiliária dos Estados Unidos.

Sobre isso, ele fala da euforia e da depressão, que são péssimas conselheiras.

Se o investimento está em alta por longo período, as pessoas ficam entusiasmada, fazendo o momento ser bom para sair do investimento. O excesso de otimismo faz com que os investidores subestimem os riscos.

O inverso também é válido, pois quando o investimento apresenta hum histórico recente de perdas, talvez seja um momento de superar o medo de conhecer esse tipo de investimento.

https://youtu.be/FrAVKCGJUrA

Vencedor de Nobel de Economia de 2015 também ensina sobre dinheiro

Angus Deaton é um escocês que também venceu o Prêmio Nobel de Economia, só que em 2015. Na época, ele recebeu um bom valor – 1 milhão de dólares.

O motivo do prêmio foi o mesmo – as pesquisas, estudos, publicações e livros sobre o tema. Tudo foi resumido na expressão “análise do consumo, pobreza e bem-estar”. Sobre isso, separamos alguns ensinamentos dele, confira.

A felicidade tem preço

Angus fez um estudo junto com Danel Kahneman e afirmou que o valor que uma pessoa precisa ter para ser feliz é de 75 mil dólares anuais – isso em 2010, quando foi feito o cálculo.

Mais do que o valor, a ideia era mostrar que as condições econômicas de cada pessoa e saber que há um valor máximo de dinheiro pelo qual vale a pena.

O imposto do governo

Angus pesquisou também algumas equações matemáticas para simular o comportamento de consumo humano – um deles foi sobre o imposto do governo.

Ele mostrou que se os impostos aumentassem sobre os alimentos ou se reduzisse o imposto de renda para um grupo especifico, como será que as mudanças vão afetar o consumo dos vários produtos e serviços?

Para ele, a situação é difícil de ser imaginada… Mas o sistema de impostos é útil, pelo menos, para a tomada de decisões sobre as questões econômicas e políticas.

Bônus – 7 Conselhos de Avó para Ficar  Rico Rapidamente

1 – NÃO ADIANTA CHORAR SOBRE O LEITE DERRAMADO

Essa é clássica, não é? E parece ser o conselho número 1 também no Mercado Financeiro. É uma questão intrínseca ao Merecimento – sendo que se você não fizer por onde, dificilmente vai conseguir ter bons resultados.

Uma vez que a bagunça está feita, é preciso arrumá-la.

No mundo do dinheiro, se você está endividado, não tem que ficar lamentando – ou chorando o leite derramado – você tem que correr atrás do prejuízo, do tempo perdido, do dinheiro mal gasto.

Faça o seguinte: liste todas as suas dívidas e comece quitando aquelas que têm maiores taxas de juros.

Existe uma regra excepcionalmente boa – é o seguinte: troque suas dívidas que têm juros altos – como do cartão de crédito ou do cheque especial – por aquelas que têm menores juros – como os empréstimos pessoais ou consignados.

Aí que nesse mesmo conselho há outra abordagem: se o leite derramou é porque você fez algo errado – gastou mais do que devia. Portanto, tente não fazer mais isso: aprenda com os erros.

2 –LIMPE O PRATO

Tá, não é bem um ditado. Mas, com certeza, um conselho. Para você crescer forte e saudável, sua avó dizia para limpar o prato, ou seja, comer toda a comida que estava ali, mesmo porque o desperdício não é regra dos grã-finos.

Você já parou para pensar quanto de dinheiro você desperdiça? Aliás, mesmo com a comida – quanto de dinheiro você joga no lixo todos os dias?

Se há um conselho fundamental aqui é o de planejar o cardápio da semana e montar uma lista de compras na hora de ir no supermercado. Ir sem fome também é indicado. Óbvio que você deve comprar apenas o necessário, não é?

De forma análoga, sobre limpar o prato, vale também se atentar aos gastos extras sem necessidade, como o pacote de internet de 20 mega que você tem ou aquela porção de filmes que comprou sendo que já havia assinado o netflix.

3 – LEVA UM CASACO PORQUE VAI FAZER FRIO

Essa é tão clássica que passou de avó para a mãe e para a irmã mais velha, tia… Todo mundo, praticamente, diz isso. E é batata – se você não levar o casaco, vai passar frio, mesmo que o céu estiver limpo.

E como podemos traduzir esse conselho? Precaução!

Abaixo também vamos falar de outro conselho para te deixar precavido, mas para o momento, a ideia é a de que você tem que estar preparado para a vida financeira – assim como para o frio.

O que é precaução na vida financeira? É reserva de emergência!

Você tem uma reserva emergencial alocada em algum investimento? Bom, se não tem, precisar começar a poupar dinheiro para conseguir isso. É bem fácil: você vai pegar o valor do seu salário atual e multiplicar por 6, que equivalerá á 1 semestre.

O resultado é o valor que você precisa ter guardado para caso algo muito sério aconteça – como perder o emprego ou ficar doente.

Leve o Casaco é o mesmo que Tenha um Fundo para Casos Emergenciais.

9 Conselhos do Corinthians para Ficar Rico no Mercado Financeiro

4 – QUEM COM PORCO SE MISTURA, FARELO COME

Se você nunca tinha ouvida falar nisso, talvez esteja mais acostumado com: quem com manco anda aprender a mancar. Ou então, a frase bíblica, me diga com quem tu andas que te direi quem tu és.

Todas valem para dizer que você não tem que se misturar com pessoas que tenha ideias diferentes do seu. Não é porque seu amigo comprou uma Ferrari que você tem que trocar de carro também. Afinal, o seu está andando tão bem, não é verdade?

Além disso, se você observar há mais pessoas pobres do que ricas no mundo. Portanto, você tem que selecionar muito bem aquelas que vão te influenciar. Você tem que começar a se “misturar” mais com essas pessoas do que com aquelas que te levam para o caminho contrário.

Seu amigo te chamou para ir na balada esse fim de semana mas você está sem grana? Aprenda a dizer não. Se coloque na sua realidade, na sua necessidade, no seu objetivo financeiro.

5 – DE GRÃO EM GRÃO A GALINHA ENCHE O PAPO

Também é bem famoso e quer dizer que aos poucos é possível chegar longe. Sua avó, provavelmente, dizia isso ao te aconselhar a paciência, a perseverança, a vida equilibrada, a paz… E tudo isso faz parte também da vida financeira de qualquer pessoa.

É de pouco em pouco que se consegue um patrimônio grandioso e sólido.

Mesmo que ganhe na loteria, se você não tiver todas essas características citadas acima, você não vai conseguir chegar ao sucesso.

Poupar dinheiro pouco a pouco, mensalmente, fará diferença. E isso é que vai te auxiliar a conquistar seus sonhos no curto prazo ou mesmo no longo.

Na prática é bem simples: suponha que daqui 12 meses você fará um aporte mensal em uma aplicação financeira de 1 mil reais. Então, você, nesse período, terá 1 mil reais.

Agora, se você aplicar 100 reais durante 10 meses, ao final do período terá mais do que apenas 1 mil reais. Concorda? É disso que estamos falando.

6 – PASSARINHO QUE ACORDA CEDO BEBE ÁGUA MAIS FRESCA

Esse conselho também é conhecida e usamos apenas para complementar o citado acima. Quando a sua avó dizia isso ela queria dizer algo muito simples: lute pelos seus objetivos.

Acordar Cedo não quer dizer para você ficar de pé a partir das 4 horas da madrugada. Não é isso. Mas sim que você vai ter que se esforçar (muito) e ter muito desempenho para conseguir seus resultados.

Os mais religiosos diriam algo do tipo: “Deus ajuda quem cedo madruga”.

7 – O APRESSADO COME CRU

Ou “Quem Tem Pressa com Cru”, que é a mesma coisa. Quer dizer que você tem que ter paciência para prosperar na vida pessoal, organizando-se e trabalhando firme no propósito.

Engraçado é que é exatamente isso que precisa para conseguir prosperar também na vida financeira – logo, quanto mais tempo você deixa seu capital investido, maior é a sua rentabilidade, se pensarmos na Renda Fixa.

Com diariogaucho, organizze