Você está com dificuldade em ensinar o seu filho a dar valor ao dinheiro? Preparamos este artigo com dicas valiosas para você conseguir isso e garantir um futuro brilhante à ele – sem dívidas, sem prejuízos, mas com muita saúde financeira!

Essa não é uma tarefa fácil para os pais, já que lhe dar com dinheiro é assunto polêmico mesmo para os mais “experientes”.

E ensinar os pequenos a cuidar do dinheiro não tem apenas o objetivo de economizar nas contas de casa, mas mostrar à elas como é relevante valorizar o dinheiro para tudo na vida.

Por exemplo: mostrar as prioridades na hora de gastar e a necessidade de se tornar uma pessoa capaz de lidar com todas as questões financeiras que a vida, um dia, vai proporcionar.

Agora, leia essas Dicas Valiosas para ensinar o seu filho a Valorizar o Dinheiro!

1 – A Importância das Conversas

Ainda que não seja comum, o mais indicado é que o casal se reúna para discutir o orçamento mensal, com itens como: planejar novos gastos, as despesas, as contas saúde, da energia, etc.

3 Itens Domésticos Indispensáveis tiveram alta em 2017

Em quase a totalidade das casas, os filhos não participam dessa conversa.

Mas, uma das coisas que você precisa mudar é justamente isso.

Para o seu filho aprender a lidar com dinheiro, ele precisa sim participar dessas reuniões sobre o orçamento financeiro da casa.

Assim a criança vai começar a assimilar qual é a realidade financeira da família onde ela reside – e, obviamente, as prioridades.

Assim, você aproveita para profundar a conversa explicando para o seu filho que o dinheiro deve ter um fim e que, portanto, devemos fazer escolhas e sempre que escolhemos alguma coisa abrimos mão de outras coisas.

A vida, oras, é feita de escolhas.

Viver é isto: ficar se equilibrando o tempo todo, entre escolhas e consequências”, Jean-Paul Sartre.

Leia Também: Problemas com Dinheiro é a principal causa dos divórcios

Problemas com Dinheiro é a principal causa dos divórcios: 3 passos para ter um Bom Planejamento Financeiro Familiar em 2017

2 – Valor do Dinheiro

Para ensinar o seu filho o valor do dinheiro é interessantíssimo que você dê a ele um “cofrinho”.

E, em seguida, sempre que possível, faça isso metodicamente, mesmo que seja diária, semanal ou mensalmente.

Essa atitude pode parecer simples, mas ao repetir isso várias vezes e constante fará com que esse simples gesto faça seu filho aprender a guardar a moeda. Assim como consequência aprenderá que é importante poupar o dinheiro.

Outra dica é dar a ele uma “bonificação” a cada valor mensal que ele conseguir juntar: essa é a ideia de conseguir ganhar juros. Exatamente como acontece com os investimentos.

Quanto mais ele poupar, maior será o valor que ele terá no cofre. Assim, com certeza, ele começará a entender o valor do dinheiro.

3 – Dar ou não dar Mesada?

Não há idade certa para se dar mesada ao filho, porém é opinião dos especialistas que ela pode ser uma ferramenta fundamental para a educação financeira dos pequenos.

Para tanto, é possível que você estabeleça algumas regras.

Primeiramente, estabeleça um valor, depois, escolha uma data para dar o dinheiro e, por fim ajude ele a listar algumas coisas de uso próprio para que se organize a fim de que sejam pagas com a mesada dele.

Assim, seu filho aprenderá a dividir o dinheiro entre as necessidades e vontades – o que é fundamental na vida de qualquer pessoa.

Além disso, aproveite o momento e explique para ele de onde vem o dinheiro que você dá de mesada.

Assim, ele poderá entender que é através do seu trabalho e o esforço. Essa é uma lição importante para mostrar que nada caiu do céu – muito menos dinheiro.

E também há outra dica: estimule seu filho a fazer um diário de ganhos e gastos e explique a ele que é importante anotar o quanto ganhou e o quanto gastou, anotando com o que gastou.

Por mais simples que isso pareça, é dessa forma que ele vai conseguir ter um planejamento financeiro ideal, desde pequeno, o que vai refletir de forma positiva no futuro.

Reprodução: Google

Mesadas para Crianças é a Melhor Forma de Educação Financeira?

Em primeiro lugar: coloque regras.

Normalmente, a mesada é para comprar o que a criança quer. Mas, os pais podem estipular limites para o uso e, assim, a criança começa a valorizar o dinheiro aprendendo a economizar, por exemplo.

Leve em conta 2 fatores importantes.

  • 1 – Renda Familiar

Você precisará ser realista sobre o que você pode pagar, sem se dar ao luxo de definir um valor maior do que a sua realidade,

  • 2 – Sua Cidade

Crianças de bairros ricos não devem receber o mesmo que os bairros menos abastados. E vice-versa.

Qual o Valor da Mesada?

O valor é estipulado pelos pais, dependendo da renda familiar e da idade.

Para isso, preparamos algumas recomendações sobre os valores da mesada conforme a faixa etária da criança. Veja a seguir!

3 AOS 5 ANOS

Os especialistas recomendam que isso aconteça a partir dos 7 anos, porém, em alguns casos, os pais optam por começar mais cedo.

Assim sendo, esse será o primeiro contato da criança com o dinheiro.

O importante é estipular uma data e quantia.

Para esta faixa etária tem que ser menos de dois reais.

Essa idade é mais para ter o contato físico real com o dinheiro.

6 AOS 10 ANOS

Nessa faixa etária é interessante definir o valor calculado por semana, que pode ser de R$ 1 multiplicado pela idade da criança.

Por exemplo: 8 anos receberá na semana: R$ 1 X 8 = R$ 8.

As crianças com essa idade já começam a entender mais, então é uma etapa que os pais devem auxiliar  na administração do dinheiro, conversando sobre poupança.

Aqui, vale a pena pensar já em uma Reserva Financeira.

Planejar o que vai comprar, também é viável, já que assim ela desenvolve responsabilidade, e independência.

11 AOS 18 ANOS

Aqui, o aconselhável é dar mesada mensalmente, estabelecendo uma data todo mês e a mesma quantia por um período pré-determinado.

É interessante que os pais aconselhem seus filhos a poupar, ao menos, 20% ou 30% da mensalidade pensando no seu futuro.

Por Que e Para Que Serve a Mesada?

A mesada é importante na vida de uma criança, pois é o 1º Passo para a Educação Financeira.

É, por meio da mesada, a criança começa a experimentar a vida adulta e começam a perceber a importância do dinheiro.

“O trato responsável com o dinheiro não é algo que se aprende da noite para o dia. É um caminho de longo prazo, que dura 20 anos, até que a criança chegue à vida adulta. É algo que se ensina aos poucos e se repete muito, porque educação também envolve repetição”, diz Cássia D’Aquino.

Porém, Mesada não é Só Dinheiro

Reinaldo Domingos é educador financeiro e lembra que a mesada tem que andar junto com outras economias, como as domésticas.

“Uma lâmpada acesa sem precisar, além de televisão e computador ligados sem ser usados, elevam o valor da conta no fim do mês e acarretam no adiamento da realização de sonhos e desejos”.

Outro ponto a ser pensado é a troca.

“As crianças podem trocar brinquedos, livros, figurinhas. Não gastar e ter o hábito de trocar dará a elas a liberdade de escolha com relação ao uso do dinheiro, além de possibilitar o exercício do desapego”.

4 – Poupar o Dinheiro

Essa dica é muito importante, pois é fundamental que seus filhos aprendam desde novo a pouparem dinheiro. Para isso, você precisa ser o exemplo assim seu filho irá de seguir!

Comece dando exemplo da sua infância, mostrando como o que você conquistou juntando dinheiro e estimule-o a juntar também para comprar coisas que lhe despertam interesse.

Inicie assim: dar valor ao trocado de padarias, supermercado e assim vai estimulando eles, para que cada troco que você dá a ele sirvam não apenas para comprar doces e balas.

Dessa forma seu filho vai aprender a dar valor ao dinheiro – a partir das moedinhas.

5 – Os Sonhos dos Filhos

Evitar que os filhos sejam consumistas é um desafio e tanto.

Não é nada fácilm como orienta o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos.

“A falta de paciência e o constante desejo por coisas novas são indícios de que crianças e jovens podem estar se tornando consumistas e devem ser educados financeiramente. O ideal é que aprendam, o quanto antes, a poupar para conquistar seus sonhos”, orienta Reinaldo Domingos.

Não é uma tarefa muito fácil para as crianças regularem seus impulsos e por isso é comum que exijam a satisfação de um desejo como se fosse uma necessidade.

Toda criança tem desejos e sonhos, que podem ser materiais como: brinquedos, álbuns, livros e etc… Reserve um momento em um ambiente agradável para falar sobre os sonhos deles.

Resumo da Ópera

Depois dessas valiosas dicas, seja você o modelo para o seu filho a todo o momento. Ele está te observando atentamente, em todo o seu comportamento. E com relação ao dinheiro não é diferente.

Toda família entende a importância da educação financeira ou deveria entender, para isso, é preciso adotar princípios como um estilo de vida mais simples, porém organizado.

Neste caso, todos são favorecidos!

E os filhos, principalmente.

Desde cedo podem contar com o tempo, outra relevante ferramenta de enriquecimento – no final do artigo, vamos dar outro bônus: Como Guardar Dinheiro para a Aposentadoria.

Agindo dessa forma, com essas 5 Dicas Valiosas que foram citadas acima, você vai estimular a educação financeira e o exemplo no cuidado com as finanças, assim se mostrará preocupado com o futuro do seu filho.

Desta forma, ele alcançará muito mais coisas durante sua jornada de vida, e finalmente, saberá lidar verdadeiramente com o dinheiro de uma maneira saudável, feliz, independência e liberta.

Educação Financeira

Para seguir qualquer dos passos citados acima, você e sua família, vão precisar quebrar alguns paradigmas sobre o mercado financeiro. Aquilo que aprendes com os nossos pais, por mais sinceros que eles sejam, já não se aplica, em grande parte, nos dias de hoje.

Quer um exemplo? Guardar Dinheiro na poupança já não é o mais indicado, comprar imóveis para alugar também não é uma coisa muito sensata a se fazer (Alugar Imóvel ou Comprar Casa) e, por fim, a previdência privada já não tem os mesmos méritos de antes (7 Mentiras que os Bancos Contam).

A Educação Financeira não é uma teoria matemática que usa fórmulas fixas, ao contrário, ela está mais para uma ciência humana que se modifica com o tempo. E, por isso, você deve sempre estar antenado para buscar as melhores maneiras de deixar a sua família equilibrada economicamente.

Se você ficou com dúvida sobre os investimentos, temos duas opções para você ler e saber mais. O primeiro é um Guia Completo Sobre a Renda Fixa, que tão segura quanto a poupança, tem maior rentabilidade (talvez você já tenha ouvida falar sobre Tesouro Direto, CDB e Fundos). O segundo é sobre um curso para investir com Risco Zero, aqui, a questão é voltada para os mais arrojados que gostam do mercado de ações.

Reprodução: Google

Inclusive, em se tratando de dinheiro, vocês notaram que o impechment do ano passado e a eleição do novo presidente dos Estados Unidos, movimentaram essa área aqui no Brasil? Pois é, como dissemos, você precisa estar atento à todo tipo de informação e saber o que é mais correto fazer para, ao invés de perder dinheiro, começa a enriquecer, e dormir mais tranquilamente todas as noites.

Ah, sim, sobre esses assuntos citados, temos também 2 dicas. Os melhores investimentos para 2017 e como fica o mundo após eleição de Donald Trump. Leia e entenda mais sobre essa fascinante mercado do dinheiro.

Por fim, um resumão, para você não se esquecer de como ter um bom planejamento financeiro familiar: conversar com a família, ser organizar, verificar receitas e despesas, cortar gastos, pagar dívidas e investir.

Essa é a fórmula do sucesso para botar um sorriso em cada um dos integrantes da sua família e não fazer parte da grande maioria que chega ao triste divórcio.

Para Saber Mais: Se você gostou desse texto e quer todas as informações na palma da sua mão, baixe o aplicativo SR Invest. Lá tem informações diárias e, além disso, é possível simular investimentos para ver qual te mais rentabilidade.

Sobre esse aplicativo, fizemos uma matéria recentemente explicando como usar e quais os benefícios. Leia.

Como Guardar Dinheiro para a Aposentadoria

Qualquer pessoa no mundo poderá ficar rica e tudo vai depender do tempo e do tanto que ela se dedica a poupar e investir dinheiro. Fala sério cara, se alguém tivesse te dito o  seguinte: “Poupe 50 reais por mês para ter 1 milhão de reais no futuro” quando você tinha 18 anos, você não teria pensando 2 vezes antes de NÃO fazer isso?

Olha só, se você tem 18 anos e já começou a trabalhar, provavelmente tem grandes chances de guardar 50 reais por mês. E se você investir essa PEQUENA quantia mensalmente, quando chegar aos 50 anos, você vai ter uma aposentadoria milionária, não há dúvidas.

Olha, nós, como bons conselheiros que somos, NUNCA incentivamos vocês a investir na poupança. Mas, precisamos fazer uma simulação para que vocês entendam isso. QUALQUER investimento atual, se pensando no longo prazo, é melhor do que a poupança. Então, vamos pegar a rentabilidade da poupança, que a mais baixa de todas, que é de 0,5% ao mês.

Aposentando com 100 Mil Reais

Então, vamos lá: Imaginemos um investimento de 50 reais mensais à uma taxa de 0,5% ao mês… Em 20 anos, termos mais de 23 mil reais. Em 40 anos, quase 100 mil reais. E aí, acha que está bom chegar na aposentaria e ter 100 mil reais lá?

Aposentando com ½ milhão de reais

Mas isso é muito pouco! Vamos pegar um investimento que renda o dobro, 1% ao mês. E isso é muito fácil de ser encontrado no mercado ein… Quase todos os investimentos em Renda Fixa rendem isso ou mais. Mas vamos lá… Em 20 anos, você terá quase 50 mil reais. Em 40 anos, terá quase 600 mil reais. Chegou na aposentadoria com ½ milhão de reais.

Aposentando com 1 milhão de reais

Aí ficou fácil né? Se você investir o dobro do valor ou encontrar um investimento que renda o dobro de 1%, então, a aposentadoria milionária é certa!

É aquilo que falamos acima… Não adianta poupar muito se for para ficar sem nada hoje. Já mostramos também que poupar apenas 50 ou 100 reais por mês já te garante uma boa aposentadoria no futuro.

O que é preciso, então, é apenas ter um bom planejamento financeiro, que envolve consumir com qualidade.

Tudo é uma questão de prioridades. O planejamento vai envolver desde a escolha em usar ou não o cartão de crédito até a escolha de qualquer produto comprar no supermercado. Vai depender da forma com que você lida com o status profissional e com a ostentação perante os amigos.

Consumo com qualidade é consumir o que é necessário. Todos produtos tem um custo-benefício que pode e deve ser calculado.

Se você ganha 2 mil reais, não pode querer ter e manter um carro que vale 50 mil reais. Isso é loucura. E nisso que o planejamento financeiro atua: na realidade. Você pode ganhar apenas um salário mínimo e ter uma renda milionária na aposentadoria. Você pode.

“Depende do momento de vida de cada um, mas, em geral, o número ideal para que cada pessoa economize é de até 30% do salário”, diz Samy Dana, professor da FGV (Fundação Getúlio Vargas) e especialista em finanças.

Com informações do dinheirama, ibahia, revistadonna, época e uol