Um Projeto de Lei para evitar o superendividamento do consumidor foi aprovado em maio pela Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara. De alguma forma, essa medida pode te ajudar se você está endividado.

Mas, antes, precisamos entender o que é, de fato, o superendividamento e como usar esse projeto à nosso favor.

Conforme o site do Senado.leg.br, o superendividamento pode ser definido como a impossibilidade global do devedor pessoa física, consumidor leigo e de boa-fé, pagar todas as suas dívidas atuais e futuras de consumo em um tempo razoável com sua capacidade atual de rendas e patrimônio.

Assim, há de se levar em conta duas situações:

1 – Superendividamento passivo – que é quando um fato superveniente acontece na vida da pessoa e a leva a ficar nessa situação. Por exemplo: desemprego, divórcio, doença ou morte, acidente, entre outros.

2 – Superendividamento ativo – que é quando a acumulação de dívidas acontece devido ao consumo excessivo, onde a pessoa gasta mais do que ganha.

Voltando ao assunto do projeto de lei, ainda há de citar a tradução deles para o superendividamento: “comprometimento de mais de 30% da renda líquida mensal do consumidor com o pagamento do conjunto das dívidas pessoais – excluído o financiamento para a aquisição de casa para moradia”.

A medida foi feita com prioridade e será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania antes de seguir para o Plenário da Câmara.

O texto quer proteger os grupos mais vulneráveis ao endividamento, proibindo o fornecimento ou assedio para que o consumidor contrate alguns produtos, serviços ou créditos, principalmente em casos de idosos, analfabetos, doentes ou aqueles vulneráveis.

“Nós estamos falando, na maioria das vezes, em empréstimo consignado que é dado para as pessoas idosas ou deficientes que recebem pensão ou aposentadoria”, disse o deputado Celso Russomano, que está por trás do PL.

“Nós entendemos que a idade, o conhecimento e a condição social são importantes para que o fornecedor dê todas as informações no momento em que fizer a venda do produto que é o empréstimo, no caso”.

Até que o PL seja aprovado – se é que será – os consumidores precisam se atentar aos seus gastos para não entrar no superendividamento ou sair dele. Pensando nisso, separamos mais alguns tópicos que podem te ajudar nessa missão:

  • O Passo a Passo para Acabar com as Dívidas e Equilibrar as Finanças
  • 4 Dicas para Lidar com o Superendividamento

Confira cada um desses tópicos.

Reprodução: Google

O Passo a Passo para Acabar com as Dívidas e Equilibrar as Finanças

Sair das dívidas não é tarefa fácil e equilibrar as finanças também não é, porém ambas são possíveis de serem realizadas. Dedicação e disciplina é a ordem. Confira algumas dicas do economista Flávio Calife.

Nome Sujo – Descubra se está com o nome sujo e isso pode ser feito pela internet, já que as empresas – Serasa, SCPC e SPC Brasil – permitem essa consulta. Qualquer pagamento não realizado pode sujar o nome.

Credor – Em caso positivo, procure o seu credor e negocie a dívida para limpar o nome. Existem bancos e lojas que permitem a negociação virtual.

Intermediação – Evite todo tipo de intermediação. Essas empresas que prometem facilitar as suas dívidas podem aumenta-las, com custos excessivos, diz Flávio.

Emprestar o Nome – Nunca faça isso, nem mesmo para um parente ou amigo. Depois do desemprego e do descontrole financeiro, essa é a maior causa da negativação do nome.

Pagamento – Pague tudo aquilo que puder. Isso vale a pena levando em conta que um dos maiores erros é renegociar a dívida por um valor que você terá dificuldades em pagar. Conforme pesquisas, mais de 50% das pessoas que renegociam dívidas, voltam a sujar o nome em menos de 1 ano.

Controle Financeiro – Você precisa saber quanto ganha e quanto gasta todos os meses e isso pode ser feito no papel, na planilha, no aplicativo ou em qualquer lugar que te fará cortar despesas supérfluas.

Reorganização – Se as renda é muito pouca para as despesas, será preciso mudar algo, como obter um novo emprego, ter uma renda extra ou cortas alguns gastos desnecessários.

Dívidas – Dívidas caras tem que ser deixadas de lado porque qualquer deslize poderá lhe custar muito mais – como o uso do cartão de crédito ou do cheque especial, que tem juros altos.

Fundo de Emergência – Crie fundo de emergência para ter uma segurança no futuro. O ideal é ter algo que vá lhe garantir por até 6 meses caso perca o emprego, por exemplo.

Planejamento – Separe, pelo menos, 10% do seu salário para fazer o fundo de emergência e, depois disso, invista para caminhar a riqueza. A diferença entre enriquecer é empobrecer é que um paga juros e o outro recebe.

4 Dicas para Lidar com o Superendividamento

Agora, se o seu caso é mais grave e você está superendividado, leia este tópico e descubra como sair dessa situação com ações que precisam ser tomadas bem rapidamente.

1 – Converse com a Sua Família

É muito importante que todos os familiares participem dos problemas financeiros e estejam a par do que está acontecendo em casa. Não esconda as dívidas, nem mesmo dos filhos.

Envolva a família e explique todos tem parcelas importantes nessa hora.

É muito mais fácil fazer isso, mesmo que seja dolorido, do que deixar tudo para depois. E, mais do que isso, qualquer ajuda é bem-vinda, o fundamental, no entanto, é que ela aconteça de dentro da casa para fora.

Existe um bom exemplo para ilustrarmos isso: existia um cara que era muito rico. Ele havia ganhado na loteria e junto com sua esposa e filhos tinha uma vida de luxo – com carros, viagens.

No entanto, uma hora o dinheiro acabou, só que ele não teve coragem de avisar a família sobre o acontecido…

Você sabe o que aconteceu depois? Se assistiu o filme “Até que a Sorte nos Separe”, provavelmente sim. Se não assistiu, veja essa resenha.

E se você acha que nós vamos dizer para você não acreditar em tudo que vê… Você está muito enganado.

Por incrível que pareça, nós encontramos um ponto muito bacana que acontece no filme e que, quando trazido para a realidade, reflete o que realmente acontece. Você já sabe do que estamos falando?

Bom, então, antes de falarmos sobre isso, vamos mostrar a sinopse dessa história, que foi exibida em 3 partes!

Até que a Sorte nos Separe (2012)

Tino (Leandro Hassum) é um pai de família comum que vê sua vida virar de ponta a cabeça após ganhar na loteria. Levando uma vida de ostentação ao lado da mulher, Jane (Danielle Winits), ele gasta todo o dinheiro em 15 anos.

Ao se ver quebrado, Tino aceita a ajuda do vizinho Amauri (Kiko Mascarenhas), um consultor de finanças super burocrático e que por sinal vive seu próprio drama ao enfrentar uma crise no casamento com Laura (Rita Elmôr).

Continue Lendo… 

2 – Gere Renda

Se você tem muitas dívidas que precisam ser pagas imediatamente, precisa gerar uma renda extra. Se você está desempregado, tem que dar um jeito de ganhar algum dinheiro, afinal, as despesas mensais vão continuar existindo e a necessidade de pagar juros pode piorar tudo.

Entenda que procrastinar ou ficar lamentando não vai resolver nenhum dos seus problemas.

Se você está em uma situação difícil, esqueça o emprego dos sonhos e abrace uma causa que lhe faça ter algum rendimento. Peça ajuda aos amigos, familiares e indicações para uma oportunidade no Mercado de Trabalho.

Só tome cuidado com promessas mirabolantes e investimentos fantásticos… Antes de aceitar cada uma dessas opções, estude-as.

Ainda vale citar aqui que é possível ter uma vida financeiramente equilibrada mesmo ganhando pouco. Existe, inclusive, uma história que fala que uma pessoa que ganhava mais de 20 mil reais poderia ficar endividada num curto prazo, enquanto que uma que ganhava um salário mínimo, conseguia enriquecer mês a mês.

O segredo é o Planejamento Financeiro.

Técnica dos 10 Envelopes

“Ok. Entendi tudo sobre a regra de ouro, me identifiquei com as suposições e, definitivamente, vou começar a investir! Mas, no título você diz algo de envelopes, e até agora não falou nada sobre isso”, você pode argumentar.

planejamento-financeiro-3
Reprodução: Google

Vamos, então, falar da cereja do nosso bolo, os tão famosos envelopes! Você vai ver que esses papéis podem fazer toda a diferença na sua planilha mensal de gastos, que vai gerar dívida ou não, e que pode te levar a riqueza ou não.

Como Funciona

É muito simples! Você vai até a papelaria e compra 10 envelopes de carta. Em cada um deles você vai escrever itens dos quais serão destinados o seu dinheiro. Em seguida, você vai escrever, também no envelope, qual o valor você acha que gasta no mês com aquele item. Depois, cada compra ou pagamento que fizer, você vai colocar o comprovante dentro do envelope que for daquele item.

Participe do orkshop 100% Online e Gratuito: Risco Zero nos Investimentos

Para facilitar, vamos sugerir os seguintes envelopes:

  • Envelope 1 – Casa: aluguel, energia, água, telefone, IPTU, condomínio, etc.
  • Envelope 2 – Carro: seguro, IPVA, manutenção, etc.
  • Envelope 3 – Saúde: convênio, remédio, academia, etc.
  • Envelope 4 – Supermercado: alimentos, produtos de limpeza, etc.
  • Envelope 5 – Educação: escola, faculdade, cursos ou afins. Livros, revistas, etc.
  • Envelope 6 – Lazer: cinema, passeio, viagem, etc.
  • Envelope 7 – Compras: vestuário, perfume, presente, etc.
  • Envelope 8 – Reserva: dinheiro separado para gastos emergenciais.
  • Envelope 9 – Dívidas: empréstimos, cheque especial, etc.
  • Envelope 10 – Investimento: 10% do seu salário, lembra?

Resultados

No primeiro mês você vai perceber que o valor que havia escrito no envelope, antes de inserir os comprovantes lá dentro, é muito menor do que o valor que você realmente gastou. As aparências enganam, não é? Por isso, a necessidade de saber como fazer um planejamento financeiro!

https://youtu.be/nlGaBKN0x_0

3 – Corte as Despesas

É só olhar friamente para os gastos mensais que qualquer pessoa percebe que é possível economizar em alguns pontos. Sempre há espaços para cortes e ajustes. É importante notar que a sua realidade financeira tem que estar equivalente à sua realidade de vida, de consumo, de bem-estar.

Os cortes devem ser feitos em despesas não prioritárias, mesmo que isso seja uma tarefa drástica. A ideia é aliviar o orçamento e viver de forma mais sincera e simples, porém sem dores de cabeça ou juros corroendo seu bolso mensalmente.

Quando as coisas melhores e o cenário mudar, você pode ter mais conforto. Só lembre que o trabalho vem antes do sucesso.

Conheça a Mágica do Planejamento Financeiro para Você Controlar os Gastos

4 – Enfrentar as Dívidas

Sabe o que significa enfrentar as dívidas? Significa suspender imediatamente qualquer linha de crédito, seja em cheque especial, cartões de crédito ou empréstimo pessoal.

Além disso, também significa renegociar suas dívidas e buscar outros empréstimos mais baratos, que tenham juros menores.

Priorize o pagamento das dívidas que estão associadas à cortes de serviços essenciais, como água, energia elétrica ou aqueles que podem tomar os seus bens, como a moradia.

E nunca se esqueça de procurar ajuda, sempre que necessário, o Procon pode ajudar, além de outros órgãos.

Quitar as Dívidas ou Poupar Dinheiro para Investir?

Essa é uma pergunta habitual na vida de qualquer pessoa. Afinal, hoje são mais de 60 milhões de brasileiros endividados, mas, desse total muitos querem mudar de vida e isso só acontece, de fato, quando essas pessoas começam a investir dinheiro em aplicações financeiras que rendem bons juros.

No entanto, em meio há tantas dívidas e juros, será que compensa ir pagando-as aos poucos e usar uma parte do dinheiro para investir nessas aplicações financeiras?

Bom, se você quer uma resposta rápida, aqui vai ela: SIM! Vale a pena ir pagando as dívidas aos poucos e começar a investir agora mesmo.

Mas, claro que tudo vai depender de você mesmo, dos seus gastos, da sua disciplina financeira, da sua dedicação, planejamento e objetivos financeiros.

Se você ainda não entendeu como os especialistas financeiros aconselham começar a investir mesmo estando com dívidas, acompanhe este artigo!

Consciência Financeira

Antes de darmos continuidade neste texto, entenda que você é o agente principal dessa missão. Logo, o seu sucesso financeiro vai depender de você e do seu esforço. Isso quer dizer que você, com certeza, terá que abrir de muitas coisas e fazer escolhas que levam em conta a prioridade financeira.

Se você tem o costume de jantar fora todos os dias, tem que começar a repensar isso. Se não abre mão das baladas todos os sábados do ano, também precisa rever esse conceito.

E esses são apenas exemplos da mudança de comportamento e hábito que deve acontecer na sua vida se você realmente quiser enriquecer mesmo tendo algumas dívidas a pagar.

Reprodução: Google

Juros das Dívidas versus Juros dos Investimentos

É lógico que se você entende o mínimo do mercado financeiro, deve ter se questionado:

  • “Como essa lógica faz sentido se os juros das dívidas são muito maiores do que os dos investimentos”?

Você está totalmente certo quanto à isso e não há contra argumentos para este caso.

No entanto, se você mudar a direção da sua visão, pode perceber que o endividamento acontece por 2 motivos básicos: quando surge algum gasto imprevisto (ou seja, que não era esperado) ou quando adquirimos algum bem que não tínhamos dinheiro a vista (ao qual acabamos por financiá-lo).

Sendo assim, ainda que opte por quitar essas dívidas, você vai precisar juntar dinheiro, concorda?

Essa ação – de juntar dinheiro – é que é o 1º passo para entrar no mercado de investimentos. Logo, mesmo que opte por quitar as suas dívidas, o ideal é fazer isso investindo dinheiro, ao mesmo tempo.

Se você ficou confuso, observe que, de forma prática, quando conseguimos organizar nossa vida financeira, pensando em investir dinheiro, conseguimos frear o consumo e os hábitos consumistas. E isso faz sobrar dinheiro no final do mês.

Sim, você consegue fazer sobrar dinheiro mesmo estando endividado e esse é o grande segredo!

Por Que Investir Dinheiro

Você tem que ter um motivo para Investir Dinheiro e no caso das pessoas endividadas, o melhor objetivo é pensar em uma Reserva Financeira. Desse modo, o novo investidor passa a ter o que os analistas chamam de “Segurança Financeira”, onde as possibilidades de você precisar de um novo “empréstimo” vão ser diminuídas.

Em termos emocionais, o sentimento de conseguir economizar dinheiro todos os meses serão tão prazeroso que acaba por incentivar as pessoas não apenas a economizar mais e mais, mas também a estudar e buscar conhecimento sobre o mercado do dinheiro.

Reprodução: Google

Assim sendo, mesmo quando você tiver um imprevisto, a sua vida financeira não vai precisar virar de cabeças para o ar, sendo que você terá o dinheiro a vista ou, no mínimo, vai conseguir encontrar as melhores alternativas para manter o equilíbrio financeiro.

Como Enriquecer mesmo com Dívidas

Bem, a regra é muito simples, mas nela há muitos detalhes. Portanto, vamos combinar o seguinte: nós adiantamos qual é o segredo para você enriquecer mesmo tendo algumas dívidas a pagar, porém, se você quiser ir além e conhecer os investimentos certos para aplicar dinheiro, você terá que assistir à 4 vídeo-aulas TOTALMENTE GRATUITAS.

Pode ser assim?

Então, nós vamos cumprir a nossa parte do contrato.

É o seguinte: você vai precisar ter um excelente cronograma financeiro. Essa é a chave do negócio. Nesse planejamento tem que estar tudo, realmente tudo: gastos e receitas. Centavo por centavo… até a bala que você comprou na padaria.

Depois, você vai precisar dividir seu planejamento da seguinte forma:

  • 70% para cobrir as despesas mensais,
  • 20% para pagar as dívidas,
  • 10% para investimento.

Essa é a regra, ok?

Se a sua renda mensal não der para cobrir os 70% dos gastos, você terá 2 opções de escolha:

  1. Aumentar a receita (com trabalhos freelancers, por exemplo), ou
  2. Diminuir esses gastos (cortando os jantares fora de casa, por exemplo).

A melhor notícia de todas é que essas 2 opções são possíveis de serem realizadas e, melhor do que isso, de formas muito mais simples do que você imagina.

Aqui no blog nós já fizemos várias listas de como você pode conseguir economizar dinheiro e diminuir os gastos, assim como já mostramos como é possível conseguir um dinheiro extra mesmo mantendo o atual emprego. Se você não viu nada disso, vamos deixar algumas indicações no final do artigo.

Depois, sobre os 20% para pagar dívidas, não há muitas questões. Você vai precisar renegociar todas as suas dívidas e, se possível, coloca-las em uma única dívida.

Aí, você tem que saber quanto representa 20% do seu salário e combinar com o seu credor de fazer esse pagamento mensal, mesmo que para tanto aumente o prazo de pagamento final.

Já sobre os 10% para investimentos, o único grande segredo é saber qual a melhor aplicação a escolher. E isso, vamos combinar, não é tão fácil quanto parece. Você precisará analisar muitos fatores, como taxas, impostos, rentabilidades, liquidez, entre outros.

Bom, a nossa parte do contrato foi feita. Fizemos uma síntese de como é possível caminhar para a riqueza sem deixar de pagar as dívidas. Agora, se você quer saber detalhes de como conseguir isso, escolhendo os melhores investimentos e renegociando as dívidas, acesse nosso curso. E não se esqueça, ele é totalmente gratuito.

Por que Essa metodologia tende a Dar Certo

Muitos profissionais de finanças, assim como os psicólogos, têm provado que quando as pessoas tenta reduzir o tamanho da dívida usando todo excedente financeiro que tem, sem que haja uma reserva financeira estrutura, elas corram o risco de fazer outro empréstimo.

Logo, quanto mais empréstimos, mais juros e quanto mais juros, mais dívidas.

Com o passar do tempo, ao invés de diminuir as dívidas, essas pessoas só as aumentam. Portanto, não resta muita dúvida quanto ao fato de que investir dinheiro para ter uma reserva financeira e assim conseguir quitar as dívidas é umas das melhores opções existentes no mercado atual.

Com informações do senado, uol e dinheirama